Ícone do site folhageral.com

Como cuidar da pele no pós sol e preservar a marquinha

Durante o verão, muitas pessoas começam a busca pela marquinha de biquíni e uma pele mais bronzeada. Um estudo da revista britânica Dermatologic Surgery, feito com mulheres entre 21 e 35 anos, indicou que pessoas bronzeadas tendem a ser consideradas mais atraentes. Por isso, a exposição ao sol não é apenas saudável para o organismo, como pode resultar no aumento da confiança e da autoestima. 

Entretanto, o processo de bronzeamento da pele deve ser feito com atenção. Exposição exagerada, sem a devida proteção, além de fazer o bronze durar menos – pela maior tendência ao descascamento -, pode ter efeitos nocivos a longo prazo.

Segundo dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), o câncer de pele corresponde a 27% dos tumores malignos no país. A exposição prolongada e excessiva ao sol é um dos fatores de risco. Por isso, na hora de intensificar o bronzeado, há cuidados que não podem faltar.

(Imagem ilustrativa/Freepik)
(Imagem ilustrativa/Freepik)

Como potencializar a marca de biquíni 

A fim de deixar a pele mais bronzeada e permitir que o resultado possa ser observado por mais tempo, a pessoa deve se atentar aos horários de exposição ao sol, reforçar a hidratação e inserir ingredientes específicos na alimentação.

Pigmentação gradual

O primeiro passo é estar consciente sobre a melhor forma de se pegar sol. Nesse quesito entram pontos como duração da exposição e horários escolhidos para se bronzear. Por isso, a pigmentação gradual é a mais indicada, ou seja, pequenos períodos de bronze ao longo de vários dias. O resultado é uma pele menos agredida, que irá permanecer hidratada e bronzeada por semanas. Além disso, vale se atentar aos horários. 

A recomendação do Inca é evitar a exposição prolongada ao sol entre 10h e 16h. Por fim, o protetor solar é item obrigatório, independente do período escolhido. O instituto orienta fator de proteção mínimo de 30, reaplicação a cada duas horas, mesmo para filtros solares à prova d’água e uso em dias nublados. Lábios também devem ser protegidos com filtro.

Hidratação da pele

Uma pele hidratada implica em menos descascamento o que, por sua vez, mantém o bronze por mais tempo. A hidratação deve ser sempre um passo importante na rotina, porém, no verão, esse cuidado precisa ser intensificado.

De maneira geral, a quantidade de água recomendada depende de fatores como peso do indivíduo, temperatura do ambiente e prática de atividade física. Porém, de acordo com estudo da Universidade Regional Integral de Erechim, para adultos saudáveis, dois litros diários podem ser suficientes. Além disso, é preciso que a pessoa complemente o processo com hidratação externa – ou seja, aplicação de cremes e óleos sobre a pele duas vezes ao dia. 

De olho na alimentação 

Alguns ingredientes vão potencializar a ação bronzeadora no organismo, seja por promoverem a oxidação da pele – protegendo-a contra raios UVA e UVB – ou por intensificarem a produção de melanina. Um exemplo são os alimentos ricos em betacaroteno, que costumam ter tons alaranjados, avermelhados e alguns esverdeados.

A Sociedade Brasileira de Dermatologia recomenda o consumo de cenoura, abóbora, mamão, maçã e beterraba para prevenção de danos à pele causados pelo sol. A associação indica ainda a ingestão de carnes grelhadas, alimentos crus e cozidos, além de frutas e legumes com alto teor de fibras e água.