em

Brasileiros preferem transporte por app ao invés de carro próprio

Nos últimos anos, houve um crescimento no consumo de transportes por aplicativos, sendo um dos principais motivos a pandemia

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Os brasileiros estão usando mais os aplicativos de transporte do que o próprio carro. É o que mostra um estudo realizado pela empresa Paypal. Cerca de 62% dos brasileiros estão preferindo esse serviço, devido a praticidade e economia. Esse estudo, feito entre outubro de 2020 e outubro de 2021, identificou que o aumento da utilização é devido à segurança perante à pandemia.

Antes da crise sanitária, em março de 2020, cerca de 48% dos brasileiros utilizavam os serviços de aplicativo diariamente ou semanalmente; agora, nos quase 2 anos de pandemia, esse número subiu para 56%, e continua aumentando cada vez mais. A maioria dos entrevistados informou que gosta da experiência que os aplicativos trazem, e 88,3% afirmaram que continuarão a utilizar mesmo após a pandemia.

A elevada intenção dos brasileiros de continuar a utilizar o serviços de mobilidade urbana, mesmo com o retorno à vida normal, reflete que a cada dia mais tem sido uma experiência positiva ao consumidor. Pegar o celular, colocar o endereço que irá e esperar o carro traz uma comodidade muito grande para quem utiliza. A queda no transporte de passageiros em transportes públicos evidencia um problema grande no setor, o que deve atrair as atenções dos governantes.

O crescente interesse por apps de mobilidade fez com que a procura por alugar carros para Uber tenha aumentado para motoristas que desejam atuar nesse ramo. Devido à pandemia, o desemprego aumentou, e muitas pessoas buscaram esse serviço como alternativa de emprego, ou como uma renda extra no fim do mês. No Brasil, aproximadamente, 1,4 milhão de pessoas estão em atividades no setor de transporte de passageiros, gerando uma alta de 60% nos últimos cinco anos, de acordo com uma pesquisa realizada pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea).

Para tornar-se um motorista de aplicativo, basta ter apenas uma CNH de categoria B, não precisando ter uma categoria especial. Você só precisa ter um carro de passeio e se cadastrar no serviço para poder utilizá-lo. A diferença da CNH de aplicativo para um motorista normal é que ela deve conter um selo de que exerce atividade remunerada.

Esse número reflete que os aplicativos são benéficos para quem consome e para quem trabalha também, se tornando imprescindível nos dias atuais. Ela acabou se tornando fonte de renda para muitas pessoas, por isso há um crescimento expressivo dia após dia. 

(Foto: Arquivo/EBC)

CPF sem restrições: por que manter o nome limpo?

(Foto: Divulgação)

Como Raul se tornou o artilheiro da Liga dos Campeões em 2001