in

O jornalista independente e assessor artístico Fabiano de Abreu, entrevista o ídolo dos flamenguistas, Dejan Petkovic

Petkovic
Petkovic. Foto: MF Press Global

O sorteio dos grupos da Copa do Mundo de 2018 foi realizado na última sexta-feira (1) e colocou o Brasil no Grupo E ao lado de Suíça, Costa Rica e Sérvia. Para a alegria de Petkovic, que atuou no Vitória, Flamengo, Vasco, Fluminense, Goiás, Santos e Atlético Mineiro, é uma alegria ver a seleção sérvia no mesmo grupo da seleção brasileira.

Fabiano de Abreu – Está feliz da Sérvia estar no mesmo grupo do Brasil?

Petkovic – Claro que estou feliz que terá o encontro entre a Sérvia e o Brasil. Será um jogo inédito já que o Brasil vai enfrentar a Sérvia pela primeira vez em uma Copa do Mundo. Estar dentro do grupo do maior favorito para ganhar a Copa é importante e ficarei ainda mais feliz se os dois conseguirem a classificação.

Fabiano de Abreu – O senhor torce para o Brasil também?

Petkovic – Lógico que estou torcendo para o Brasil também. E haja coração quando o Brasil enfrentar a Sérvia no dia 27 de junho! Gostaria que fosse o primeiro jogo e não o terceiro pois pode ser a partida decisiva. Então vai depender muito como vão ser os primeiros dois jogos. Gostaria que esse jogo não tivesse a importância de classificar um e eliminar o outro. Se ambas as seleções vencerem os primeiros jogos vou ficar ainda mais feliz”, afirma Petkovic.

Fabiano de Abreu – Petkovic fez história no Flamengo e é ídolo da torcida que não está satisfeita com o time e com a falta de títulos de peso. O conheço bem e sei que és uma pessoa extremamente inteligente e um empresário que administra bem seus negócios. Não se candidataria a presidente do clube?

Petkovic – O Flamengo é um grande clube, tem o maior orçamento, a maior torcida e precisa conquistar mais títulos. Claro que não é fácil ganhar sempre, mas um título nacional é importante que venha logo. Não esperar 17 anos para ganhar um Brasileiro como esperou quando ganhamos na minha época. Já se passaram 8 anos desde o Brasileiro de 2009 e logicamente que o time precisa ganhar mais títulos. Sou homem do futebol, o futebol é a minha vida, sou profissional, capacitado e preparado para fazer qualquer coisa dentro do futebol. Agora não me candidataria para ser presidente do Flamengo pois ainda sou novo e posso contribuir dentro do futebol. Para ser presidente do Flamengo é preciso ter um pouco mais de idade, estar dentro do clube, entender todo o maquinário e funcionamento da instituição. O Flamengo não é somente o futebol, mas é uma nação e ser o presidente do clube não é tão fácil. Acho que ainda não é a hora para esse cargo.

Fabiano de Abreu – Se considera flamenguista?

Petkovic – Joguei em sete clubes brasileiros e gosto de todos, logicamente que alguns mais e outros menos. Não posso negar que me considero um pouco flamenguista por todo o carinho que recebi no clube. Gosto, tenho carinho, vínculo, títulos e isso é inevitável. Logicamente que sou um profissional e posso trabalhar em outros times dentro do futebol. Não sei se isso prejudica ou não, mas claro que não posso negar que também me considero um flamenguista”, completa Petkovic, atualmente com 45 anos.




Sugerido por MGID
Loading...

Folha Geral é um portal/jornal/revista online conhecido no Brasil e no mundo por abordar os principais assuntos do cotidiano nacional e internacional.

Deixe uma resenha

cancer de pele, queimadura do sol, sunburn-1522092_1280

Dezembro Laranja traz alerta sobre o câncer de pele

Mais de 50 municípios terão reforço da Operação Verão

Mais de 50 municípios terão reforço da Operação Verão