Em janeiro deste ano, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), a Bahia gerou 3.629 postos com carteira assinada, decorrente da diferença entre 69.209 admissões e 65.580 desligamentos.

Com este saldo, o estado passou a contar com 1.905.178 vínculos celetistas ativos, uma variação de 0,19% sobre o quantitativo do mês anterior. De responsabilidade do Ministério do Trabalho e Emprego, os dados do emprego formal foram sistematizados pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), autarquia vinculada à Secretaria do Planejamento do Estado da Bahia (Seplan). 

Entre as unidades federativas do país, 16 delas criaram vagas no mês de janeiro. O país computou um saldo de 83.297 novas vagas, enquanto o Nordeste fechou 133 postos – o que significou variação relativa de 0,20% e estabilidade comparativamente ao estoque do mês anterior, respectivamente.

Em termos absolutos, a Bahia (+3.629 postos) ocupou a primeira posição na geração de postos celetistas entre os estados nordestinos. No conjunto dos 27 entes federativos, ficou na oitava colocação. Em termos relativos à variação do estoque, também se localizou em primeiro lugar no Nordeste e na décima colocação no país.

Na Região Nordeste, em relação à geração, a Bahia (+3.629 postos) foi seguida pelos estados do Maranhão (+982 postos), Pernambuco (+325 postos) e Piauí (+269 postos). Os outros cinco estados nordestinos encerraram posições celetistas: Ceará (-3.033 postos), Paraíba (-1.717 postos), Sergipe (-427 postos), Alagoas (-137 postos) e Rio Grande do Norte (-24 postos). A capital do estado, Salvador criou 788 postos de trabalho celetista. 

A Bahia (+0,19%) também foi destaque na região sob o ponto de vista da variação relativa mensal do estoque. Os estados do Maranhão (+0,17%), Piauí (+0,09%) e Pernambuco (+0,02%) ocuparam da segunda a quarta posições, nessa ordem. Em seguida, completando o ordenamento, com variações negativas, vieram os estados do Rio Grande do Norte (-0,01%), Alagoas (-0,03%), Sergipe (-0,14%), Ceará (-0,24%) e Paraíba (-0,38%). 

O segmento de Serviços (+2.240 postos) foi o que mais gerou postos de trabalho celetistas, dentre os cinco grandes setores de atividade econômica em janeiro no estado. Em seguida, também com saldos positivos, Construção (+2.073 postos) e Agricultura, pecuária, produção florestal, pesca e aquicultura (+459 postos). Em contrapartida, o setor de Comércio; reparação de veículos automotores e motocicletas (-951 postos) e o de Indústria geral (-192 postos) foram aqueles que encerraram posições de trabalho no primeiro mês do ano de 2023.

Da Redação, com agência*

*Com Agência de Notícias