A Cesta Básica de Salvador, calculada pela Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI), com base em 2.142 cotações de preços em 95 estabelecimentos comerciais (supermercados, açougues, padarias e feiras livres) de Salvador, passou a custar R$ 481,90 no mês de novembro de 2022. Deste modo, quando comparado com o custo estimado no mês imediatamente anterior, houve uma reduçãode 1,73% – ou seja, uma diminuição de R$ 8,48 em relação ao valor registrado em outubro, em termos nominais. 

Dos 12 produtos da cesta básica, dez registraram redução nos preços, a saber: banana-prata (-6,67%), açúcar cristal (-6,66%), leite (-5,25%), óleo de soja (-4,21%), manteiga (-3,61%), feijão (-2,65%), café moído (-1,72%), carne bovina (-1,48%), arroz (-1,45%) e o pão francês (-0,23%). Por sua vez, apresentou elevação a farinha de mandioca (9,11%) e o tomate (1,12%). 

Nessa conjuntura, o trio composto por arroz, feijão e carne bovina variou -1,70% de outubro para novembro, tornando-se responsável por 38,42% (ou seja, R$ 185,13) do valor da Cesta Básica atual. Por sua vez, o quarteto com café moído, leite, pão francês e manteiga reduziu 2,38% de um mês ao outro, passando a responder por 35,95% (ou seja, R$ 173,22) do custo atual da cesta analisada. 

Os produtos com as maiores participações no custo da Cesta Básica de Salvador no mês de novembro foram carne bovina (27,65%), o pão francês (16,84%) e o tomate (11,40%). Por sua vez, os componentes com as menores participações foram o açúcar cristal (2,64%), o óleo de soja (2,04%) e café moído (1,95%). 

Por fim, em novembro de 2022, o tempo de trabalho despendido por um trabalhador soteropolitano para obter uma cesta básica foi de 94h34min, o que equivale ao comprometimento de 42,98% do valor líquido de um salário mínimo atual que é de R$ 1.121,10. 

O boletim completo, contendo informações e constatações adicionais, inclusive análises mais qualitativas, pode ser acessado diretamente do site da SEI clicando aqui.

Da Redação, com agência*

*Com Agência de Notícias