A produção de soja deve alcançar novo recorde para 2022/2023. De acordo com a consultoria da StoneX, a previsão para a safra foi elevada em 153,8 milhões de toneladas, um aumento de 200 mil toneladas em comparação à expectativa anterior.

O clima favorável ampliou em 4,5 milhões de hectares a área de produção em Goiás, alterando as estimativas de produção. Mesmo com a participação das chuvas beneficiando as plantações, especialistas se mantêm atentos aos eventos climáticos que possam alterar as produções em 2023. 

Os preparativos para o plantio já começaram em várias regiões. Caso não aconteça nenhum imprevisto climático na região Sul do país, a mais afetada pelas variações do tempo no ano passado, a perspectiva é de que a produção de soja aumente ainda mais.

De acordo com o especialista Leonardo Sodré, CEO da GIROAgro, uma das maiores empresas de fertilizantes do Brasil, “a alta se deve não apenas ao clima favorável, mas também às técnicas aprimoradas no manejo das culturas, controle de pragas e doenças, genética e o uso de fertilizantes, tanto no solo (macronutrientes) quanto na folha (micronutrientes). Porém, as produções sempre serão imprevisíveis quando entramos em períodos de eventos climáticos que não podemos controlar”.

Com a alta da produção, a expectativa é de crescimento do nível de exportações. “Nos últimos anos, o agronegócio brasileiro tem se destacado e vem disputando o mercado internacional em igualdade com outros grandes players, como EUA, China e Índia. Se mantivermos o ritmo de investimentos, aprimorando técnicas agrícolas com desenvolvimento tecnológico, novos recordes serão batidos constantemente. Isso consolida a posição de destaque do Brasil no mercado global de produção agrícola”, finaliza Sodré.

*Colaboração de Press FC

Luis W.

Colaborador do Folha Geral. O conteúdo é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do Folha Geral