(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

A atividade econômica do país registrou alta de 1,17% em julho em comparação ao mês anterior, de acordo com o IBC-Br, índice visto como uma espécie de prévia do PIB (Produto Interno Bruto). 

O resultado supera as expectativas do mercado, que especulava uma alta de apenas 0,30% no período. Segundo especialistas, a recuperação da economia foi puxada pelos setores de serviços e da construção civil. 

“A construção civil é um motor importantíssimo para o desenvolvimento econômico do país. Ele é um dos grandes vetores da geração de empregos diretos e indiretos, além de movimentar diversos setores que fazem parte deste mercado”, afirma Tatiana Fasolari, vice-presidente da Fast Engenharia.

“O setor da construção civil mostrou resiliência durante o período de isolamento imposto pela pandemia de Covid-19. E tem apresentado uma recuperação vigorosa desde o início da fase de reabertura”,  avalia a especialista.

A CBIC (Câmara Brasileira da Indústria da Construção) projeta alta de 3,5% para o setor em 2022. O percentual está acima da expectativa de crescimento da economia para o ano, estimado em 2,65% segundo Pesquisa Focus. 

Caso as análises se confirmem, será o segundo ano consecutivo em que a construção civil crescerá acima do PIB. O índice de Confiança do Empresário da Construção também fechou em alta pelo sexto mês consecutivo, com 62,7 pontos.

*Colaboração de Press FC