em

Vendas de caminhões crescem 13,23% em novembro

Apesar da falta de oferta em alguns produtos, isenção do IOF e maior oferta de crédito são alguns dos fatores que contribuíram para o aumento das vendas

(Imagem ilustrativa/Freepk)

Apesar de novembro ter tido menos dias úteis que outubro, o penúltimo mês do ano vendeu 1.354 unidades de caminhões a mais que outubro. A porcentagem do aumento de vendas corresponde a 13,23%. Em comparação a novembro do ano passado, entretanto, houve queda de 1,55%.

No resto do ano, as vendas também foram 14,81% menores quando comparadas à 2019. De janeiro a novembro do ano passado foram vendidas 93.405 unidades, enquanto neste ano o resultado foi de 79.572 no mesmo período.

Apesar disso, os números são positivos e crescentes em relação ao início do ano. O presidente da Fenabrave (Federação Nacional Distribuição Veículos Automotores) explica o porquê: “A maior oferta de crédito, com aprovação de sete de cada dez solicitações, e as taxas de juros abaixo de 1% têm impulsionado as vendas”, afirma Alarico Assumpção Júnior. Outro fator que impulsionou a compra de veículos no mês de novembro foi a isenção do Imposto sobre Operações Financeiras (IOF). 

Entretanto, por conta do momento em que estamos vivendo, a falta de peças nas montadoras e os turnos reduzidos para segurança e bem-estar dos colaboradores acabam impedindo que os valores alcancem os mesmos níveis de antes da pandemia, causando uma diminuição da oferta em alguns produtos.

“A produção continua limitada por falta de peças e componentes”, explica Alarico Assumpção. Com isso, alguns veículos que foram comercializados agora só têm previsão de chegada no segundo semestre de 2021. 

Entre as marcas mais compradas, a Mercedes-Benz está em primeiro lugar, com 33,79% das unidades vendidas. Em segundo lugar está a Volkswagen/MAN, com 29,12%, e, em terceiro, a Volvo, com 16,61% do mercado. Em seguida temos a Scania, com 9,28%, a Iveco, com 5,62%, e a DAF, com 4,45%. Por segmento, os pesados foram os mais vendidos, com 48,93% das vendas. Em seguida temos os semipesados (26,77%), leves (9,95%), médios (9,24%) e semileves (5,11%).

Outra dica para quem deseja adquirir seu veículo pesado neste ano é acompanhar os leilões de caminhões que continuam sendo realizados, mesmo que de forma remota. Com o leilão, é possível adquirir bens usados, porém em boa qualidade e com preços mais atrativos do que um veículo 0 km.

*Conteúdo colaborativo

Da Redação, com agência*

*Com Agência de Notícias
Envie seu conteúdo para análise editorial: redacao@folhageral.com.br
Conheça as condições em https://www1.folhageral.com/termos-e-condicoes

(Foto: Divulgação)

Novos secretários tomam posse na Prefeitura de Goiânia

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Câncer de colo de útero: Brasil assume compromisso para erradicação