(Imagem ilustrativa/Unsplash)
(Imagem ilustrativa/Unsplash)

O universo dos jogos digitais é imenso. Essa indústria conta com um catálogo de opções muito diversificado; por isso, consegue alcançar os mais diversos tipos de consumidor, tornando-se assim, um dos mercados mais valiosos do entretenimento online. Dada a variedade, ao segmentar a oferta, baseado no interesse do público, diversas empresas estão encontrando um caminho de sucesso, especialmente aquelas dedicadas ao iGaming.

Os jogos eletrônicos são um dos pilares do entretenimento digital e online. Esse segmento se destaca no alcance de público, como já citado, e no valor de mercado. Segundo um estudo da TechNET, a indústria dos videogames está avaliada em US$ 163,1 bilhões, valor que supera os setores do cinema e da música juntos. Dentro desse mercado existem diversos segmentos, dentre eles os jogos, que consolidaram os cassinos pelo mundo.

O iGaming é formado essencialmente pelas apostas esportivas e pelo tradicional jogo de cassino, que nesse caso, formam uma extensa lista de clássicos, como o blackjack, a roleta, as slots machines, além do poker. Essas são as modalidades mais difundidas nesse setor e que estão conquistando, a cada dia, mais jogadores.

No segmento do iGaming estão essencialmente os jogos que envolvem algum tipo de aposta, como as modalidades de cartas e as próprias apostas esportivas. Ainda que muitos sites especializados ofereçam versões grátis para que os usuários possam aprender e aprimorar as habilidades no jogo, o centro desse mercado está no valor movimentado quando as partidas são “para valer”.

As modalidades que dominam o cenário são as mesmas dos cassinos físicos, porém, todas estão “turbinadas” com tecnologia de ponta. Para começar, os provedores de iGaming fazem um esforço extra no que tange a segurança e a experiência do usuário, afinal, estamos falando de dinheiro real. Por isso, cada um dos jogos conta com os melhores recursos possíveis para oferecer partidas justas para ambos os lados, além de proteger os jogadores de qualquer tipo de ameaça digital.

Na lista dos títulos que movimentam o iGaming estão as slots machines, que se mantêm no topo utilizando a tecnologia para desenvolver novas temáticas, como antigas civilizações, mitologia grega, filmes de sucesso e bandas de rock. Tudo isso para aumentar a conexão com os usuários. Além do tradicional, outro jogo que ganha terreno é o Aviator, no qual o desafio está em apostar, aproveitar o multiplicador, e retirar a aposta antes que o avião vá embora e leve tudo.

Já os jogos de mesa, nesse caso as virtuais, são compostos pelas tradicionais modalidades de cartas, além da roleta. No campo do carteado, o blackjack ganhou novos modos de jogo, como o de múltiplas mãos, na qual o jogador tem maiores opções ao jogar com mais cartas. Além do modo de primeira pessoa, que oferece uma perspectiva realista da partida.

A roleta também melhorou com as novas tecnologias. Uma vez que todas as modalidades – americana, francesa e europeia – estão disponíveis. A grande favorita nesse caso é a francesa, pois conta com um par de regras que favorecem o jogador. Não que a vantagem seja grande, porém, nessa vertente a chance de vencer é 2,3% maior.

(Imagem ilustrativa/Unsplash)
(Imagem ilustrativa/Unsplash)

Outro fator que impulsionou o iGaming no Brasil foi a recente mudança na legislação, que favoreceu a operação de empresas especializadas em apostas esportivas. O reflexo da atividade pode ser visto nos campos de futebol. As casas de apostas, um dos principais pilares do mercado, estão em alta e parte da estratégia dessas companhias é centrada no patrocínio esportivo. Das 20 equipes que disputam o Brasileirão, todas contam com algum tipo de apoio dos sites especializados em apostas.
O iGaming dá sinais de que chegou para ficar. Com uma base sólida e atuando em diferentes frentes, o segmento cresce no Brasil e as projeções futuras são positivas. As novas tecnologias e a busca por entretenimento online jogam um papel decisivo na expansão das modalidades pelo país.

Nax R.

Colaboradora do Folha Geral. O conteúdo é de inteira responsabilidade da autora e não expressa a opinião do Folha Geral