em

Como investir em criptoativos com segurança?

O bitcoin, que é o criptoativo mais popular do mercado, chegou a valorizar mais de 100% no primeiro trimestre de 2021, mas fechou o segundo trimestre com uma queda de 41%

(Imagem ilustrativa/Pixabay)
(Imagem ilustrativa/Pixabay)

As criptomoedas são ativos que possuem alto potencial de desenvolvimento. Porém, até que alcancem maior maturidade e se tornem mais populares, ainda vão ser conhecidas como formatos de dinheiro com alto grau de volatilidade.

Estamos falando de uma forma descentralizada de dinheiro que elimina a necessidade de intermediários tradicionais, como é o caso das moedas tradicionais que precisam de um órgão regulador para definir as diretrizes para circulação dos recursos. 

Neste contexto, por fazer parte de uma classe de ativos que possui baixa conexão com outros mercados e apresentar significativa oscilação, ele ainda é visto como uma fonte de investimento instável. 

Só para ilustrar, o bitcoin, que é o criptoativo mais popular do mercado, chegou a valorizar mais de 100% no primeiro trimestre de 2021, mas fechou o segundo trimestre com uma queda de 41%. 

Em função dessa constante instabilidade, é essencial que o investidor analise minuciosamente o mercado antes de tomar qualquer decisão, identificando quais as oportunidades que melhor atendam às suas necessidades, minimizando a margem de erro. 

Como investir em criptomoedas? 

Primeiramente, os especialistas alertam que é essencial compreender ao máximo o cenário das moedas digitais, obtendo informações sobre o fluxo de compra e venda, análise de cotações, onde ficam armazenados os dados dos investidores, entre outras métricas. 

Trata-se de uma etapa de pesquisa que muitos não levam em consideração mas que, entretanto, é necessária para que o potencial investidor não tome decisões erradas, minimizando assim o risco de, não só fazer aportes financeiros equivocados, mas ser vítima de fraudes e atividades ilícitas. 

Neste contexto, uma das formas de evitar esse problema é contar com uma assessoria de exchanges, que são corretoras de criptomoedas que fazem a intermediação entre compradores e vendedores, durante o processo de compra e venda das moedas digitais. 

Atualmente, é bem simples encontrar esse perfil de corretoras, já que existem vários players no segmento. Embora muitos estejam fora do país, já existem alguns no Brasil. Além disso, buscar trocar conhecimento e a avaliação de outros investidores para conhecer melhor as corretoras que estão no ramo é importante, verificando inclusive se elas possuem cadastro na Comissão de Valores Mobiliários (CVM). 

Qual a projeção de investimento nas criptomoedas?

Um atributo que pode ser considerado um diferencial competitivo é que estamos falando de uma moeda ilimitada. Entre os fatores que comprovam isso é que ela foi criada em 2009 em meio a uma crise mundial e, atualmente, mesmo com as oscilações provocadas pela guerra entre Rússia e Ucrânia, se apresenta hoje como uma importante fonte de investimento. 

Aproveitando esse cenário, muitos investidores consideram comprar criptomoedas. De acordo análise realizada pela Sherlock Communications, a projeção é que o número de adeptos cresça muito mais. A companhia promoveu pesquisa com 1200 pessoas na Argentina, Brasil, Colômbia, Chile, México e Peru.

O estudo mostrou que várias pessoas querem investir no dinheiro digital e o Brasil puxa essa fila. Ao todo, 25% dos participantes da pesquisa responderam que pretendem comprar criptomoedas nos próximos 12 meses. 

Em segundo lugar, aparece a Colômbia com maior interesse em aderir a tecnologia, registrando mais de 22% dos entrevistados respondendo sim ao estudo. 

(Foto: Reprodução)

MPF e MP garantem reserva de R$8,9 milhões para indenizar pessoas contaminadas por amianto na Bahia

(Imagem ilustrativa/Freepik)

Graduação nos Estados Unidos não garante permissão de moradia permanente no país