em

PIX, DOC ou TED: e agora, qual escolher?

Operações bancárias se tornaram cada vez mais comum entre os brasileiros; mas o que muda com a chegada o PIX?

(Imagem ilustrativa/Divulgação)

O mercado financeiro não para de evoluir. Além dos cartões de crédito e débito, tecnologia NFC ou por aproximação, cartão de crédito consignado para aposentados, pensionistas e servidores públicos, agora chegou o PIX.

O novo meio de pagamento desenvolvido pelo Banco Central (BC) em parceria com mais de 600 instituições financeiras, entre fintechs, bancos, cooperativas e carteiras digitais, tem o objetivo de tornar mais facilitadas as operações de transferências e pagamentos entre pessoas físicas e empresas, reduzindo o tempo para segundos e eliminar limitações de horário ou dias da semana.

(Imagem ilustrativa/Divulgação)
(Imagem ilustrativa/Divulgação)

Lançado oficialmente no dia 16 de novembro, o PIX registrou mais de 10 bilhões de reais em transações em sua primeira semana de operação e já soma 82 milhões de chaves PIX cadastradas. No entanto, apesar de todos os benefícios, ainda há muitas pessoas com dúvida: por que fazer o PIX e não TED ou DOC? Para esclarecer essa questão, veja este comparativo:

Disponibilidade do sistema

O famoso DOC (Documento de Crédito), transferências entre contas em até 1 dia útil e teto de R$ 4.999,99, bem como a TED (Transferência Eletrônica Disponível), transação rápida e sem limite de envio de valores, apenas estão disponíveis em dias úteis.

O PIX, por outro lado, chega para oferecer disponibilidade ilimitada, isto é, 24 horas por dia e 7 dias por semana; independentemente se é fim de semana ou feriado, o PIX funciona.

Compensação

Nos sistemas tradicionais de transferência bancária, o valor pode estar disponível na conta de destino em até 3 dias úteis. Já no PIX, os valores são transferidos rapidamente, em até 10 segundos.

Dados necessários

Para fazer um TED ou DOC é necessários ter em mãos banco, agência, número da conta e, se o destinatário do valor for de outro banco, também será necessário informar o CPF. Com o PIX, basta informar a chave cadastrada na conta que deseja receber. Além disso, também é possível receber dinheiro emitindo um QR Code ou pagar escaneando o QR Code.

Tarifação

TEDs e DOCs geraram muitas cobranças aos bancarizados brasileiros. Entre instituições diferentes, já foram registrados até R$20 para a realização da transação. Embora os valores tenham baixado em muitas instituições, a operação ainda é sujeita a tarifação. Já o PIX é totalmente gratuito, inclusive, entre bancos diferentes.

Da Redação, com agência*

*Com Agência de Notícias
Envie seu conteúdo para análise editorial: redacao@folhageral.com.br
Conheça as condições em https://www1.folhageral.com/termos-e-condicoes

(Imagem ilustrativa/Freepik Premium)

Endividamento das famílias cai pelo segundo mês; saiba como sair das principais dívidas

(Arquivo Folha Geral)

Casos de covid disparam em Tabocas do Brejo Velho, após eleições