em

Halloween em casa: saiba como adaptar a festa

Brincadeiras por chamada de vídeo e atividades em família são as melhores opções para se divertir no dia 31 de outubro

(Imagem ilustrativa/Freepik Premium)

A celebração tradicional do Dia das Bruxas, com as crianças indo às ruas para bater de porta em porta em busca de doçuras, não faz parte da cultura brasileira, mas adaptações que relembram esse costume são feitas por aqui, como festas nas quais adultos e crianças vão fantasiados durante todo o mês de outubro – em especial, no dia 31. Mas, neste ano, será necessário mudar a forma de comemorar para evitar aglomerações e novas contaminações por covid-19.

Até mesmo o governo dos Estados Unidos, país propagador do Halloween, lançou orientações que restringem alguns costumes da data. A agência norte-americana de saúde pública CDC (Center For Disease Control and Prevention – “Centro de Controle e Prevenção de Doenças”, em português) cita uma série de atividades e as classifica como de baixo, médio ou alto risco, além de informar que os cidadãos devem optar pelas atividades menos perigosas neste momento, o que exclui as festas e o costume de pedir doces na vizinhança.

(Imagem ilustrativa/Freepik Premium)
(Imagem ilustrativa/Freepik Premium)

Confira algumas sugestões de atividades de baixo risco baseadas nas instruções do CDC.

Caça ao tesouro à distância

Uma opção para unir as crianças da vizinhança e promover o reencontro dos colegas da escola sem sair de casa é fazer uma caça ao tesouro de Halloween, na qual os participantes recebem uma lista de objetos que os pais esconderam previamente e que devem ser encontrados. Conectados por apps de videochamada, as crianças devem mostrar os objetos uns para os outros para pontuar.

Concurso de fantasias pela internet

Ser quem quiser por um dia é o que encanta muitos dos mais novos durante o Dia das Bruxas, Para não perder esse costume divertido, as fantasias podem ser expostas também por videochamada ou por postagens nas redes sociais. Para deixar a brincadeira ainda mais interessante, vale também criar uma votação para melhor composição, valendo prêmios que podem ser entregues a domicílio, como doces ou fast-food.

 Contação de histórias de terror

Com a família de casa reunida, é hora de lembrar o clima assustador da época. Para entrar no clima, uma boa ideia é fazer uma barraca de lençóis na sala e fazer as narrações com lanternas, para acentuar o suspense, ou um teatro de fantoches, caso as crianças sejam mais novas.

Atividades de médio e alto risco

O CDC cita ainda as atividades de médio risco, que envolvem desfiles de fantasia ao ar livre, visita a túmulos de entes queridos em celebração ao Dia dos Mortos e jantares com número restrito de pessoas ao ar livre. De acordo com o órgão, essas opções são viáveis, caso o distanciamento seja respeitado.

Já como alto risco são destacadas atividades como grandes celebrações em espaços fechados com pessoas cantando e reuniões com grande número de pessoas de famílias distintas, assim como visitas a casas de outras pessoas.

Para escolher a programação, a orientação é levar em conta a evolução da pandemia na vizinhança. “Ao planear uma celebração [nos feriados], deve-se avaliar os níveis atuais da covid-19 na sua comunidade para determinar se deve adiar, cancelar ou limitar o número de participantes”, alerta o CDC.

Da Redação, com agência*

*Com Agência de Notícias
Envie seu conteúdo para análise editorial: redacao@folhageral.com.br
Conheça as condições em https://www1.folhageral.com/termos-e-condicoes

Professores de colégios militares relatam interferência ideológica no currículo disciplinar (Foto: Carolina Antunes/PR)

Professores relatam censura em colégios militares

(Foto: Fernando Vivas/GOVBA)

Bahia implementa o primeiro Plano Estadual de Comunicação do país