em

Quer alavancar seu negócio? Saiba como conseguir dinheiro para tornar sua ideia real

Ilustração. Foto: Pixabay

Ter o próprio negócio é o sonho de 70% dos brasileiros. Teve uma ideia inovadora ou encontrou uma brecha no mercado e quer oferecer um novo serviço? O primeiro passo é pensar como tirar esse plano do papel. Se você não tem o investimento necessário, uma das alternativas é um empréstimo para negócio.

Mas, é importante entender o que é a realidade do empreendedorismo. Buscar investimento para o próprio negócio é um passo importante e você precisa se certificar de que está fazendo isso pelas razões corretas.

Isso, porque muitos dos empreendedores brasileiros entram no mercado por necessidade e de forma despreparada. Em muitos casos, o resultado são empresas que fecham e/ou pedem falência em um período de dois anos após a abertura.

Agora, se você tem uma ideia estruturada, precisa pensar em como financiá-la. É nisso em que vamos ajudar hoje. Veja algumas maneiras de conseguir o investimento necessário para o seu negócio.

Empréstimo

Uma das maneiras mais tradicionais de conseguir empréstimos é em bancos, como o Banco do Brasil, Bradesco, Itaú, Santander e outros.

Os bancos costumam ter diversas linhas de crédito, de acordo com o perfil de cada empreendedor. Se o seu objetivo é conquistar um empréstimo dessa forma, saiba que é preciso muito mais que uma ideia.

Quanto mais garantias você tiver, melhores condições consegue, como juros menores e maior tempo para pagar a dívida. Por isso, é importante ter um plano de negócios consolidado. Faça um plano realista onde fique visível quando você começará a ter lucros.

Existem alguns modelos de empréstimo. O capital de giro é destinado para atividades diárias da empresa. Ou seja, seu objetivo é manter as operações responsáveis pelo funcionamento do negócio como estoque, gastos administrativos e comprar matéria-prima.

Já o empréstimo para investimento fixo é usado na modernização ou expansão do negócio. Ele pode ser investido para adquirir maquinário moderno e mais eficiente, por exemplo. Mas, apenas use para comprar aquilo que é necessário e não uma modernização por capricho. No final do dia, é importante ter uma produção maior.

Por fim, existe o investimento misto. Você investiu e conseguiu aumentar a produção, mas agora falta dinheiro para comprar a matéria-prima e manter a produtividade? É aí que o investimento misto é ideal.

Atenção na hora do empréstimo

Na hora de fazer o seu empréstimo, veja se a empresa é confiável. Depois, analise quais são as condições do empréstimo, os juros e o tempo que você tem para acertar a dívida feita. Compare esses números com os valores do seu plano de negócio e veja se eles são compatíveis.

No cenário ideal, o custo da sua dívida não deve comprometer mais de 20% da sua geração anual de caixa. E aqui vale um lembrete, não misture fluxo de caixa e sua conta pessoal. Esse é um erro cometido por pequenos, médios e grandes empreendedores e pode comprometer o seu negócio, principalmente na fase inicial.

As linhas de crédito podem ser solicitadas por diferentes perfis de empreendedores. Existem opções para pessoas jurídicas, inclusive MEI, e até empréstimos pessoal.

Uma das formas de conseguir taxas e prazos mais interessantes é colocando o seu imóvel como garantia. Mas, vale atenção nesse ponto. Já quem não tem imóvel próprio consegue opções como o crédito corporativo, crédito consignado e  linhas específicas para micro e pequenas empresas.

Para encontrar as melhores condições é preciso pesquisar. Não aceite a primeira proposta que aparecer na sua frente. Veja empresas diferentes, negocie prazos e taxas.

Investidores-anjo

Uma das formas de encontrar recursos para tirar a sua ideia do papel é procurar um investidor-anjo. Se o seu ramo de atuação é tecnologia, aqui você tem grandes chances, pois eles têm chamado a atenção de investidores.

O investidor-anjo não é um sócio e pode obter até 50% dos lucros da sociedade em um período de cinco anos. Eles podem investir de 50 mil até 600 mil reais em empresas de pequeno porte ou microempresas.

Para conseguir o apoio de um investidor-anjo, você também precisa de um plano de negócios bem estruturado e previsões de lucro. Mais que o banco, esse tipo de investidor trabalha com outros empreendedores há muito tempo, e possuem um faro para negócios que vão dar certo.

Por isso, eles cobram um plano consolidado e não apenas uma ideia inovadora. Você precisa de números e pesquisas de mercado que estejam a seu favor. Assim, conseguirá convencê-lo de que investir em você é uma boa ideia. Para encontrar um desses anjos, você pode enviar a sua ideia para o site Anjos do Brasil.

Procure sócios

Você pode não ter o dinheiro para colocar a sua ideia em prática, mas e se encontrasse alguém que tenha? Ter um sócio é uma das formas de conseguir abrir a sua empresa.

Claro, ele não entra só com a parte financeira. Um investidor tem uma série de obrigações e responsabilidades com a empresa. Eles devem ser leais e ter compromissos sérios com o negócio, preservando pela transparência sempre.

O sócio tem direito de votar em decisões sociais da empresa, por exemplo. Mesmo que ele tenha entrado apenas com os recursos. Faça um contrato para definir todos os pontos importantes da sociedade, deixando bem estabelecidos assuntos como expulsão e transparência.



Patrocinador
Loading...
Ilustração. Foto: Pixabay

Ácaros: saiba como proteger a sua casa destes minúsculos inimigos

Ilustração. Foto: Reprodução/PF

PEC da autonomia da Polícia Federal completa 10 anos à espera de aprovação