em

EUA querem impedir discurso de Putin na ONU

As sanções dos EUA contra a Rússia foram sincronizadas com a 70ª sessão da Assembleia Geral da ONU para tentar impedir o discurso do presidente russo, Vladimir Putin. Quem afirma é o parlamentar russo, Frants Klintsevich

© AFP 2015/ Alexei Panov
© AFP 2015/ Alexei Panov

“Estas sanções estão sincronizadas especialmente com a intervenção do presidente da Rússia, Vladimir Putin, no período de sessões da Assembleia-Geral  da ONU e têm como objetivo que o líder russo cancele sua intervenção na Assembleia Geral do organismo”, disse.

No entanto, Klintsevich disse que Washington não vai atingir o seu objetivo e “Vladimir Putin dirá ao mundo, em Nova York, tudo o que quer dizer”.

Segundo o anúncio divulgado no site da ONU, a 70ª sessão da Assembleia Geral será realizada no dia 15 de setembro.

O líder russo vai discursar na Assembléia Geral, pela primeira vez desde 2005. Desde então, a Rússia sempre foi representada pelo chanceler Sergei Lavrov, com a exceção de 2009, quando compareceu o então presidente Dmitry Medvedev.

Anteriormente, o ministro das relações exteriores da Rússia, Sergei Lavrov, havia declarado que a participação do presidente russo será “um grande acontecimento na história dessa organização”. Ele lembrou que a comunidade internacional celebrará em setembro o 70º aniversário do fórum, criado exatamente depois da Segunda Guerra Mundial.

Foi divulgado nesta quarta-feira (2) que o Departamento de Estado norte-americano e o Departamento de Comércio dos Estados Unidos acrescentaram mais empresas russas à “lista negra” para reforçar o regime de sanções contra Moscou por sua suposta participação na crise ucraniana.

Na lista se encontram cinco entidades russas e suas filiais, incluindo a empresa exportadora de armas estatal Rosoboronexport.

© 2015 Sputnik. Todos os direitos reservados

Da Folha Geral, em Salvador*

*Com colaboração de (agência, assessoria ou especialista)

1º Encontro Tecnológico de Trigo Irrigado no Oeste da Bahia

Prêmio ‘Muito Obrigado, Axé’: GGB é homenageado pelos 35 anos de ativismo na Bahia