em de

Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher é lembrado nesta segunda (28)

Ginecologista da Aliança Instituto de Oncologia alerta sobre cuidados e exames necessários

Nesta segunda-feira (28) é lembrado o Dia Internacional de Luta pela Saúde da Mulher. A data foi criada para chamar atenção e conscientizar a sociedade dos diversos problemas de saúde e distúrbios comuns na vida das mulheres. A ginecologista da Aliança Instituto de Oncologia Juliana Dytz fala sobre os principais cuidados que as mulheres devem ter. De acordo com a médica, não há um consenso sobre exames anuais, o que se sabe é que a mulher precisa fazer pelo menos uma consulta ginecológica por ano.

“Essa consulta compreende o exame físico, onde o médico vai avaliar as mamas e o abdômen. O exame ginecológico obrigatório, que seria aquele da colpocitologia ou papa nicolau, como é mais conhecido, é recomendado para todas as mulheres com vida sexual ativa, independente da idade. O médico pode solicitar outros exames, como ecografias (das mamas, abdômen, aparelho pélvico), mamografias, exames de sangue e ainda de tireoide”, destaca Juliana.

Mas quando se preocupar?
De acordo com a ginecologista não existe idade mínima para a mulher se preocupar. “Sabemos que a pediatra acolhe as meninas até os 12 anos, mas a partir daí, geralmente elas já começam a se consultar com ginecologistas para avaliar questões de menstruação, higiene ou mesmo para tirar dúvidas”, afirma.

Segundo a médica, os problemas de saúde do público feminino variam também de acordo com a idade. As adolescentes e mulheres jovens, por exemplo, sofrem mais com dismenorreias, que são as cólicas menstruais, ciclos irregulares, endometriose e a síndrome do ovário policístico. Já aquelas em fase mais madura, acima dos 50 anos, sofrem com a menopausa, que aumenta o risco para doenças para doenças cardiovasculares, cânceres de mama, endométrio e ovário.

Juliana acrescenta que o problema mais temido de toda mulher atualmente é o câncer, por isso, é de fundamental importância que se faça exames de prevenção periodicamente e mantenha outros cuidados, com uma alimentação saudável e a prática de atividade física regular. “Toda mulher precisa cuidar da mente, da sexualidade, da área afetiva, fazer outros exames, cardiológicos e metabólicos, exemplo. E acima de tudo, ter consciência que de nada adianta ir ao médico e não se cuidar”, finaliza.

PUBLICIDADE

Publicidade

Teste grátis por 14 dias. Se você gostar, assine utilizando o cupom: LC3JQAWPE3XK74E e ganhe 20% de desconto durante 1 ano. Saiba mais em: Conheça o G Suite



Loading...

Da Folha Geral, em Salvador*

*Com colaboração de (agência, assessoria ou especialista)

PUBLICIDADE
paralisação caminhoneiros 2018 foto governo federal

Sai edição extra do Diário Oficial com MPs dos caminhoneiros

Algodão da Bahia

Bayer destaca portfólio para soja e algodão durante Bahia Farm Show