em

Ficar sentado por muito tempo prejudica a memória

Um estudo recente conclui que passar muito tempo sentado pode levar à perda de massa em regiões do cérebro relacionadas com a memória

sentado na cadeira, escritorio, mesa - creditos Adoyle Flickr
Foto: Adoyle/Flickr

Essa não é a primeira vez que os cientistas alertam para as consequências negativas de uma vida sedentária. No entanto, desta vez, uma pesquisa da Universidade da Califórnia (UCLA), em Los Angeles, indica que passar muito tempo sentado pode provocar alterações em uma parte do cérebro essencial para a formação de novas memórias.

Os pesquisadores se concentraram em determinar qual a relação existente entre os níveis de atividade física e o tamanho do lobo médio temporal, uma região encefálica que fica localizada na parte lateral do cérebro e é responsável pela gestão da memória.

Às 35 pessoas envolvidas no estudo, com idades entre 45 e 75 anos, os cientistas perguntaram quantas horas semanais dedicavam à prática de exercício físico e, pelo contrário, quantas horas por semana ficavam sentados no sofá, por exemplo.

Posteriormente, e através de imagens obtidas por ressonância magnética, os cientistas mediram a grossura do lobo médio temporal de cada um dos participantes.

Depois de determinar as correlações entre essas variáveis, os responsáveis pela pesquisa descobriram que ficar sentado durante períodos de tempo prolongados está estreitamente relacionado com a perda de massa no lobo médio temporal.

“A perda de massa do lobo médio temporal pode ser um precursor de declínio cognitivo e demência em pessoas idosas ou de meia-idade”, explicam os autores do estudo, publicadoeste mês na PLOS One.

No entanto, os cientistas salientam que o estudo prova que passar mais horas sentado está associado a regiões cerebrais com menos massa, mas não prova que estar sentado por períodos de tempo muito longos provoca perda de massa nas estruturas cerebrais.

Assim, os cientistas recomendam reduzir os hábitos sedentários, de modo a melhorar a saúde do cérebro e reduzir o risco de Alzheimer.

O resultado desse estudo permite concluir que o comportamento sedentário permite prever, de forma estatisticamente significativa, a perda de massa do lobo médio temporal. Além disso, manter uma atividade física, mesmo que de forma intensa, é insuficiente para recuperar os efeitos negativos do sedentarismo.

Ciberia // ZAP

Ciberia

Conteúdo fornecido por Ciberia.com.br
Informações: info@ciberia.com.br

STF aceita denúncia contra Aécio por corrupção e obstrução de Justiça

Backstage Manaus

Após passagem de sucesso por Orlando, escola de dança de Manaus representará o Brasil na Disney Califórnia