em de

Lava a jato clandestinos são alvo de operação da Embasa na região do Paralela Park

Lava a jato Paralela Park
Foto: Divulgação/Embasa

Em mais uma operação de combate às fraudes na rede de água, equipes da Embasa identificaram e retiraram hoje (13) um ramal clandestino utilizado para abastecer quatro lava a jato irregulares localizados na Rua Procurador Nelson Castro, no Trobogy, nas proximidades do condomínio Paralela Park. Os lava a jato estavam desviando muita água, dado o grande movimento de carros de clientes no local. A ação foi acompanhada por integrantes da Polícia Militar.

“Após a retirada, colocamos uma cápsula para dificultar o restabelecimento da ligação clandestina, pois é muito comum, nestes casos, a tentativa de reabertura da ligação indevida”, contou Luzivane Cunha, gerente comercial da Embasa. A empresa registrou um boletim de ocorrência na 10ª Delegacia Territorial, situada em Pau da Lima, para a identificação e punição dos responsáveis.

O combate aos desvios de água causados por lava a jatos têm sido um foco das operações de combate a fraude realizadas pela empresa em Salvador. Na última quarta-feira (6), um lava a jato foi flagrado com ligação clandestina na rede distribuidora de água no bairro de São Cristóvão. Após receber uma denúncia anônima, a Embasa retirou a fraude e a Polícia Civil abriu inquérito para investigação do crime de furto de água fez a oitiva dos funcionários da Embasa e policiais militares presentes na ação.

De acordo com o Artigo 155 do Código Penal Brasileiro, a prática de furto de água é qualificada como crime contra o patrimônio, sujeita a pena de reclusão, além de multa. O usuário que estiver nessa situação deve procurar um ponto de atendimento da empresa e regularizar sua ligação, evitando problemas e corte no abastecimento do imóvel.

RISCO DE CONTAMINAÇÃO | Ações fraudulentas envolvendo a utilização da água distribuída pela Embasa são responsáveis pelo desvio de cerca de dois bilhões de litros de água por mês, em Salvador e Região Metropolitana (RMS). Além das perdas físicas e financeiras e do risco de contaminação da água devido à manipulação indevida das redes, o furto de água prejudica o abastecimento de quem paga em dia a conta, já que o volume de água projetado para abastecimento destina-se aos imóveis com ligações devidamente cadastradas e cujo consumo pode ser medido. Além dos casos suspeitos identificados por meio das análises de consumo e do cruzamento de dados no sistema comercial da Embasa, a empresa conta com o apoio da população, que pode denunciar sigilosamente as situações de fraude pelo teleatendimento 0800 0555 195 ou na agência virtual, no site www.embasa.ba.gov.br.

PUBLICIDADE

Publicidade

Teste grátis por 14 dias. Se você gostar, assine utilizando o cupom: LC3JQAWPE3XK74E e ganhe 20% de desconto durante 1 ano. Saiba mais em: Conheça o G Suite



Loading...

Da Folha Geral, em Salvador*

*Com colaboração de (agência, assessoria ou especialista)

PUBLICIDADE
Card Gov Bahia - Divulgação

Governo da Bahia lança WhatsApp para divulgar informações e aperfeiçoar transparência e interação com o cidadão

Estrutura ampliada estação de tratamento de água Barreiras

Cerca de 30 mil pessoas passaram a receber água da Embasa no oeste baiano, em 2018