em

Tito é firme e impede tentativa de aumento de salário de prefeito e vice-prefeita

A Câmara Municipal de Barreiras realizou sessão plenária na última quarta-feira (14.12.2016), e na pauta do dia todos os projetos pendentes de votação

Carlos Tito. Foto: Divulgação

A sessão foi muito movimentada e aconteceu com a presença dos 19 vereadores e com as galerias lotadas de populares que protestavam firmemente contra o Projeto de Lei nº 44/2016 que visava fixar os valores dos salários dos agentes políticos do município para os próximos 4 anos.

A competência legal para propor referido projeto é da Mesa Diretora, mas o presidente Tito, o vice presidente Digão Sá e o primeiro secretário Gilson Rodrigues, por não concordarem com nenhum aumento de salário neste momento em função da crise econômica que passa o país, não propuseram o projeto.

Diante disso, a presidente da Comissão de Educação vereadora Karlúcia Macêdo, vice prefeita eleita no município, insatisfeita, tomou a iniciativa juntamente com alguns vereadores e propôs o Projeto de Lei 44/2016, e ainda, durante a sessão da terça-feira (13.12.2016), no momento da leitura do projeto, a vereadora anunciou que na sessão de votação apresentaria emenda juntamente com o parecer da Comissão elevando o salário do prefeito para R$: 24.000,00; da vice para R$: 12.000,00; dos secretários municipais para R$: 12.000,00; e dos vereadores para R$: 12.600,00.

Diante da repercussão negativa que tomou a cidade, a vereadora recuou e ao invés de apresentar a emenda que anunciou a todos os vereadores, aumentando os salários, surpreendentemente apresentou outra emenda reduzindo os salários, para tentar se justificar com a população.

Mas já era tarde, diante da manobra, o presidente Tito foi a Tribuna Popular e em seu firme pronunciamento fez valer a verdade, anunciando qual era o real intento da autora do projeto: aumentar o próprio salário.

Após, o vereador Carlão ocupou a Tribuna e reafirmou as palavras do presidente dizendo que realmente era essa a tentativa, no que foi acompanhado com o apoio de outros vereadores.

Com o discurso do presidente e dos demais vereadores, da pressão popular, da imprensa séria desse município, o Sindicato dos Servidores Municipais de Barreiras (SINDSEMB), do Observatório Social e do Ministério Público que formulou recomendação para suspensão do malfadado projeto de lei, o presidente declarou o projeto retirado de pauta e encerrou a sessão.

Da Folha Geral, em Salvador*

*Com colaboração de (agência, assessoria ou especialista)

Marconi e Valéria entregam 52 mil brinquedos em três cidades

Oziel Oliveira é diplomado prefeito de Luís Eduardo Magalhães