em

Riachão das Neves: ‘Nunca vou perdoar’, diz garota violentada por mãe e mais dois

7ad1b9693c08f10c27b17a7205721c20

“Não tinha escolha, minha mãe não falava nada, só pedia para ‘mim’ (sic) não falar nada. Eu não vou perdoar a minha mãe nunca. Que ela apodreça na cadeia, ela e ele, os dois”, desabafou nesta terça-feira (18) a adolescente de 15 anos que sofreu abuso sexual da mãe, de um policial militar e da esposa dele, na cidade de Riachão das Neves, no oeste da Bahia. Mais quatro de seus irmãos foram violentados pelo grupo.

A esposa do PM, que é pedagoga, é a única dos suspeitos já presos. A mãe das vítimas e o policial militar estão foragidos. Centenas de pessoas saíram às ruas da cidade em protesto emocionado em prol dos irmãos, que têm 6, 9, 12, 14 e 15 anos.

A tia delas contou que a família ficou horrorizada quando a sobrinha mais velha contou o que aconteceu. “Eu peguei ela e levei para a casa do tio e ela começou a se abrir, falar que estava sendo abusada, sofrendo, ela e os irmãos, e pediu ajuda para gente, para que não deixasse mais ela voltar para  a casa”, descreveu.

Em 2013, a Secretaria de Direitos Humanos recebeu 4.380 denúncias de abuso sexual contra crianças e adolescentes. Cerca de 30 vítimas são atendidas por mês no Centro de Defesa da Criança e do Adolescente (Cedeca), em Salvador.

Segundo os psicólogos, geralmente, esse tipo de violência é cometido por alguém que está próximo da criança. Em 70% dos casos, o agressor é o pai ou o padastro, o que difilculta que a criança conte que está sendo violentada. Sinais emocionais como nervosismo, ansiedade, agressividade e dificuldade de concentração, além de físicos como dores de cabeça, dores de estômago, febre insistente e dificuldade de urinar podem indicar que a criança está sendo abusada sexualmente.

Da Folha Geral, em Salvador*

*Com colaboração de (agência, assessoria ou especialista)

BBB14: Clara se descuida, mostra seio e Cássio avisa a sister

Lusa decide recorrer à Justiça comum e enfrentar CBF por vaga na Série A