em ,

Andrea Capitulino mostra as curvas e as cores do Maranhão

Andrea Capitulino
Andrea Capitulino. Foto: Thiago Duran

Recentemente a comunidade da Acadêmicos do Tatuapé escolheu o novo samba enredo para 2018. “Maranhão, os Tambores vão Ecoar na Terra da Encantaria”. Das 34 obras inscritas no concurso, que é realizado internamente pela diretoria da entidade, três chegaram à última etapa do concurso, que aconteceu invadiu a madrugada e anunciou o grande vencedor. Os mesmos compositores do samba do ano passado que levou a escola ao titulo é a que venceu a grande final.

Para buscar o bicampeonato, a escola da zona leste manteve a base da equipe campeã de 2017, com mudanças apenas no carnavalesco, já que Wagner Santos assumiu o posto deixado por Flávio Campello, que ser transferiu para a Acadêmicos do Tucuruvi, e na comissão de frente, que será comandada por Leonardo Helmer.

Na corte, a Rainha de bateria Andrea Capitulino que estreou ano passado e ficou conhecida como a Rainha ‘Bumbum Coração’, pelo tratamento estético e a musculação do futuro (atividade escolhida pela musa fitness junto com seu preparador Paulo Gelatti), chegou para a festa usando um look exclusivo. Quero usar as cores do Maranhão. “Já estou pensando no grande dia, na fantasia e nos detalhes. Maranhão é cor, é vida, é folclore. Quero explorar muito as riquezas naturais e folclóricas da região.”- afirmou a rainha.

Mostrando harmonia não apenas no samba no pé, mas também com o corpo, a musa fitness pretende ainda deixar o corpo mais escultural para a avenida. “Sei que ainda faltam meses, mas uma preparação de verdade, não se consegue em apenas 30 dias. Todo dia é dia de foco e disciplina. Se em 2017, entrei com tudo, aguardem 2018”.

Andrea Capitulino
Andrea Capitulino. Foto: Thiago Duran
Andrea Capitulino
Andrea Capitulino. Foto: Thiago Duran

Da Folha Geral, em Salvador*

*Com colaboração de (agência, assessoria ou especialista)

Conteúdo adulto e violento é o mais indesejado, acessado por crianças brasileiras via smartphone

Brasil, bandeira, Brazil

O nosso país desgovernado