em ,

Procurador do STJD diz que CBF será intimada na terça sobre oferta à Lusa

fluminense-perde-de-3-a-1-em-1996-time-foi-rebaixado-naquele

O Superior Tribunal de Justiça Desportiva intimará a CBF a prestar esclarecimentos sobre a oferta feita à Portuguesa, de antecipar R$ 4 milhões em receitas, exigindo em troca que o clube desista de tentar reverter na Justiça Comum a decisão da Justiça Desportiva que acarretou no seu rebaixamento. Segundo o procurador do STJD, Paulo Schmitt, a entidade deve ser comunicada já nesta terça-feira.

“Já me manifestei, estou pedindo que a CBF esclareça, já foi oficializado.  Amanhã (terça-feira) a CBF será intimada e vai ter três dias para se manifestar. Ainda não posso falar nada, por enquanto não vejo nada” afirmou Schmitt ao UOL Esporte.

O procurador ressaltou que ainda é cedo para chegar a qualquer conclusão sobre o assunto, e reclamou da repercussão que as informações relacionadas ao caso vem tendo desde o final do ano passado.

“Vou esperar para ver o que se trata. A gente fica especulando demais, todo assunto da Portuguesa vira uma coisa que parece sem sentido, então vamos esperar um pouco. É isso”, disse.

A proposta da CBF, revelada pela TV ESPN Brasil no último domingo, seria uma antecipação dos valores da cota de participação da Portuguesa na Série B. Em troca, o clube teria que desistir de contestar a decisão do STJD que causou o rebaixamento tanto na esfera desportiva como na esfera comum.

A Portuguesa foi punida em decisão unânime do tribunal esportivo com a perda de quatro pontos, por ter escalado o meia Heverton, de forma irregular, em partida contra o Grêmio. A medida rebaixou o clube paulista, e garantiu a permanência do Fluminense na Série A. Revoltados, torcedores recorreram à justiça comum: no Rio de Janeiro, a decisão foi pela manutenção da punição; em São Paulo, pela anulação.

Na última sexta-feira, a 42ª Vara Cível de São Paulo emitiu liminar favorável e exigiu que a CBF devolva os quatro pontos retirados da Portuguesa – a decisão foi proferida pelo juiz Marcello do Amaral Perino, que havia tido um parecer semelhante sobre o Flamengo um dia antes.

A CBF contratou o escritório de Carlos Miguel Aidar, candidato à presidência do São Paulo, para representar a entidade em São Paulo nas ações sobre o caso. O advogado já disse que a entidade apresentará recurso e contestará a legitimidade dos torcedores que entraram com as ações. Fonte: UOL

Da Folha Geral, em Salvador*

*Com colaboração de (agência, assessoria ou especialista)

Barreiras: Abrigo dos Idosos São João Batista tem uma nova conquista

Paulo Souto será confirmado candidato ao governo pela oposição no dia 31