em de

Antes e depois do gerador: conheça a história do gerador elétrico

gerador eletrico, energia, power-plant-928229_1280
Ilustração. Foto: Pixabay

Você consegue imaginar a sua vida sem energia elétrica? Parece impossível, não é mesmo? No mundo de hoje, praticamente tudo depende de uma tomada. Seja a carga de bateria dos nossos celulares, as formas de entretenimento que conhecemos ou mesmo a conservação dos alimentos na geladeira. Mas nem sempre foi assim.

Até 1830, a única fonte de energia elétrica que se conhecia eram as pilhas e baterias. A função delas era a de transformar a energia química em eletricidade. Porém, tudo mudou em 1831, quando o inglês Michael Faraday criou um sistema capaz de produzir energia elétrica a partir da energia mecânica. Nasciam assim os primeiros geradores de energia.

O primeiro gerador de energia
A lógica por trás do primeiro gerador de energia era bastante simples e, para os padrões de hoje, pode até ser considerada rudimentar. O equipamento era composto de um disco de cobre que girava no campo magnético formado pelos polos de um ímã de ferradura de cavalo. Esse movimento continua produzia uma corrente elétrica.

A descoberta de Michael Faraday é considerada um dos grandes avanços tecnológicos da humanidade. Isso porque a criação desse equipamento foi fundamental para a ampliação das possibilidades de aplicação da energia elétrica. Absolutamente nada do que temos hoje e que depende de energia seria possível sem os conhecimentos de Faraday.

Outro marco tecnológico: o dínamo
Enquanto Faraday fazia os seus experimentos na Inglaterra, nos Estados Unidos outro nome de suma importância na história da ciência também fazia avanços. O norte-americano Joseph Henry produziu em 1832 – um ano depois de Faraday – um protótipo muito semelhante ao qual batizou de dínamo.

O dínamo é um aparelho que gera corrente contínua convertendo a energia mecânica em energia elétrica. Ou seja, a energia mecânica – vinda do movimento das águas de um rio, por exemplo – faz girar um eixo onde está localizado um ímã. Esse avanço também foi considerado um marco da ciência e permitiu que desde então muitos outros pesquisadores passassem a utilizar ambas as formas de geração de energia em seus projetos.

Um mundo de possibilidades
Foi a partir dessas duas invenções que as pesquisas relacionadas ao uso de energia elétrica deslancharam. O tema já era objeto de atenção dos cientistas da época, mas as invenções de Faraday e Henry trouxeram essas possibilidades para mais próximo dos inventores. De certa forma, eles permitiram a portabilidade da energia em certo sentido.

Para se ter uma ideia, no período de dez anos que se seguiram – entre 1832 e 1842 – o escocês James Bowman Lindsay apresentou ao mundo o primeiro protótipo de lâmpada incandescente. A invenção, porém, foi registrada posteriormente pelos inventores Joseph Swan e Thomas Edison.

Já em 1834, o escocês Robert Anderson criou a primeira carruagem elétrica do mundo. Novamente, o projeto passou por alguns aperfeiçoamentos e melhorias e em 1942, o norte-americano Thomas Davenport e o escocês Robert Davidson criaram os primeiros veículos elétricos.

Os geradores de energia hoje
Existem diversos tipos de geradores de energia na atualidade. Porém, os mais comuns são aqueles capazes de gerar energia elétrica por meio da queima de combustíveis, como diesel ou gasolina. O equipamento consiste basicamente de um alternador, um tanque de combustível e um motor.

Diferente do que acontecia no passado, os critérios de segurança para a fabricação de um gerador são itens essenciais. É preciso respeitar uma série de normas internacionais de forma que o que a indústria busca hoje é a redução do consumo de combustível e um aumento na autonomia dos equipamentos. Além de, é claro, um custo menor na produção.

Usos e aplicações
São inúmeras as possibilidades de uso de um gerador de energia. Basicamente, onde houver a necessidade de energia elétrica e a rede de energia não for suficiente – ou se ela não existir – há espaço para um gerador.

Eles são amplamente utilizados na construção civil, em industrias, atividades de mineração, usinas termoelétricas, hospitais, supermercados e também no comércio em geral. Eventos ao ar livre, como grandes shows musicais, também não seriam possíveis sem a presença de um gerador de energia.

Geradores para todas as ocasiões
O aperfeiçoamento dos geradores de energia é tão grande que, hoje em dia, existem modelos voltados para os mais diversos tipos de atividades. Há modelos, por exemplo, fabricados apenas para uso de hospitais, ou seja, que funcionam como uma fonte auxiliar de energia quando a corrente elétrica principal cessa.

Por outro lado, há os modelos portáteis, com maior ou menor capacidade, que podem ser utilizados para a iluminação de um ambiente de construção civil no período noturno ou, ainda, para dar vida a um grande show musical, como foi o caso do Rock ‘n Rio. Para se ter uma ideia, na última edição do festival foram utilizados mais de 40 geradores.

Em resumo: embora a probabilidade de que exista um modelo ideal para cada tipo de necessidade seja enorme, é sempre mais seguro entrar em contato com uma empresa especializada para que você possa receber a orientação adequada.

No caso da A Geradora, são muitos anos de experiência não apenas na locação de equipamentos para geração de energia, mas também na participação no planejamento e no projeto de situações em que um gerador se faça necessário. Assim, você tem a garantia de estar escolhendo um produto adequado às funções que você necessita.

PUBLICIDADE

Publicidade

Teste grátis por 14 dias. Se você gostar, assine utilizando o cupom: U4FJXY7TLEPVTET e ganhe 20% de desconto durante 1 ano. Saiba mais em: Conheça o G Suite



Loading...

Da Folha Geral, em Salvador*

*Com colaboração de (agência, assessoria ou especialista)

PUBLICIDADE
Ministério de Turismo uruguaio divulga porque brasileiros gostam tanto do país

Ministério de Turismo uruguaio divulga porque brasileiros gostam tanto do país

Os homens sabem o que querem?

Os homens sabem o que querem?