Seminário de Energias Alternativas traça cenários para os próximos anos em desenvolvimento sustentável
Siga nossas redes

Busque no site

Publicidade

Ambiente

Seminário de Energias Alternativas traça cenários para os próximos anos em desenvolvimento sustentável

Evento em Limeira reuniu lideranças e profissionais do setor, representantes de instituições públicas e privadas

Leitura: 6 minutos
Presidente da AEASP, João Lammel. Foto: Divulgação
Presidente da AEASP, João Lammel. Foto: Divulgação

Promover o debate e trazer à tona reflexões sobre desenvolvimento sustentável, a busca de novas alternativas para economia e produção energética explorando fontes alternativas. Este foi um dos objetivos do “Seminário de Energias Alternativas”, realizado pela AEASP – Associação de Engenheiros Agrônomos do Estado de São Paulo, na terça-feira, dia 26, na Universidade Paulista – UNIP, em Limeira (SP). O evento reuniu lideranças e profissionais do setor, representantes de instituições públicas e privadas.

Mais de 40% da energia utilizada no Brasil provém de fontes renováveis, o que projeta o país para um lugar de destaque quando o assunto é a utilização de fontes alternativas, uso de energias combinadas e sustentabilidade. É o que apontou o presidente da AEASP, João Lammel.

“Estamos, de certa forma, numa posição privilegiada, pois o nosso país tem disponível todas as formas de energia, com destaque para a hídrica, biomassa, eólica e solar. Como profissionais do setor, estamos dispostos a promover e incentivar essa discussão, aprofundarmos o debate e a buscar alternativas que coloquem os brasileiros numa posição de referência com solidez no segmento para os próximos anos. Cabe a nós, engenheiros, trazer soluções que, em longo prazo, trarão sustentabilidade e atenderão as demandas do nosso país, por meio de tecnologias desenvolvidas pela indústria nacional”, ressaltou.

Evento em Limeira reuniu lideranças e profissionais do setor, representantes de instituições públicas e privadas. Foto: Divulgação
Evento em Limeira reuniu lideranças e profissionais do setor, representantes de instituições públicas e privadas. Foto: Divulgação

“Acredito que todos os profissionais das engenharias têm uma missão e contribuição muito importantes nesse processo de discussão e desenvolvimento de alternativas energéticas sustentáveis. Não há crescimento e desenvolvimento sem energia, e por isso a importância desse Seminário”, completou.

O prefeito de Limeira, Mario Botion, que também é engenheiro civil, ressaltou que o Seminário de Energias Alternativas é de extrema relevância e ocorre de forma oportuna, visto que as alternativas energéticas são fundamentais para o desenvolvimento do futuro.

“O Brasil tem uma das matrizes energéticas mais limpas do mundo, no entanto ainda temos várias questões que nos desafiam. Temos outras fontes, além da hídrica que é nossa principal, que ainda precisam ser desenvolvidas e usadas visando melhor equilíbrio na questão dos custos. A energia é limpa, mas ainda é cara se compararmos a outros países com características parecidas com as nossas. Por isso, esse Seminário é muito conveniente para discutir questões técnicas”, salientou.

“Este é um evento bastante moderno, com um tema que está na pauta não só do Brasil, mas de todos os países preocupados com a sustentabilidade e, temos como missão trazer a atualização aos profissionais do setor”, disse Glauco Pereira Cortez, vice-presidente do CREA-SP.

Evento em Limeira reuniu lideranças e profissionais do setor, representantes de instituições públicas e privadas. Foto: Divulgação
Evento em Limeira reuniu lideranças e profissionais do setor, representantes de instituições públicas e privadas. Foto: Divulgação

Durante o Seminário, vários tipos de energia foram abordados pelos palestrantes – solar, eólica, hídrica e de biomassa. O encerramento deu-se com o tema “Questões públicas licenças ambientais – iluminação”.

Alexandre Barbin, chefe na UGI de Limeira CREA-SP fez a abertura dos trabalhos e explanou sobre os compromissos e a atuação da entidade. O painel Energia Solar contou com as apresentações do presidente da AEAA – Associação dos Engenheiros, Agrônomos e Arquitetos de Americana, Renato Archanjo de Castro; do docente da Unip, Wagner Fróes e moderação do diretor da Faculdade de Agronegócios de Holambra, Geraldo Eysink.

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Quer anunciar? Clique aqui

O painel Energia Eólica contou com a participação do diretor operacional da Eletrovento, Carlos Paschoal Fernandes; Rudolfo Hesse, docente do SENAI Pirituba, além de Antonioni Rosada, da Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Limeira – AEAL, docente da UNIP e Chefe da Divisão de Iluminação Pública da Prefeitura Municipal de Limeira.

O painel Energia Hídrica contou com a moderação do secretário de Obras e Serviços Públicos de Limeira Dagoberto Campos Guidi, e trouxe apresentações de Geraldo Lúcio Tiago Filho, do Centro Nacional de Referência em Pequenas Centrais Hidroelétricas e de representantes da empresa Bombas Annauger, Fábio Ré.

Para tratar do tema Biomassa, participaram do painel o diretor-superintendente da Cocal, Paulo Zanetti; Nelson Sudan Junior, gerente Agroindustrial da Usina Iracema do Grupo São Martinho, com moderação do primeiro vice-presidente da Associação Mundial dos Engenheiros Agrônomos e vice-presidente da AEASP, Ângelo Petto Neto.

Já o painel Questões Públicas: Licenças Ambientais e Iluminação contou com a moderação do Glauco Pereira Cortez, vice-presidente CREA-SP; e explanações de Ednea Aparecida Parada, gerente da Cetesb Limeira; do engenheiro em Eficiência Energética da Elektro, Lucas Rafacho e Elias Almeida da Silva, superintendente do Setor Público do Banco do Brasil.

Na cerimônia de abertura e encerramento, além do presidente da AEASP, João Lammel e do prefeito de Limeira, Mario Botion, estiveram presentes o docente da Unip, Antonioni Antonio Rosada, que representou o diretor Walter Guedes Filho; Alexandre Gaib, presidente da AEAL (Associação dos Engenheiros e Arquitetos de Limeira); Dagoberto de Campos Guidi, secretário Municipal de Obras e Serviços Públicos de Limeira; Glauco Pereira Cortez, vice-presidente CREA-SP; Renato Archanjo de Castro, coordenador adjunto do Colégio de Entidades Regionais de São Paulo – CDER-SP; Ricardo Cantarini, assistente executivo da Subsecretaria de Petróleo e Gás da Secretaria de Infraestrutura e Meio Ambiente do Estado de São Paulo e Thiago Guimarães, diretor do escritório regional de Campinas da Secretaria de Desenvolvimento Regional do Estado de São Paulo.

O “Seminário de Energias Alternativas” foi realizado pela Associação de Engenheiros Agrônomos do Estado de São Paulo – AEAESP, com o apoio do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia do Estado de São Paulo – CREA-SP, Associação de Engenheiros e Arquitetos de Limeira (AEAL), Universidade Paulista – Unip e Coordenador do Colégio de Entidades Regionais (CDER-CREA-SP).

CONTINUA APÓS A PUBLICIDADE

Quer anunciar? Clique aqui

*Com Agência de Notícias

Veja também

Notícia

Estudo aponta que região da Lagoa Azul, em Porto Seguro, deveria ser transformada em unidade de conservação

Cultura

Unidade de Conservação abrangerá uma área de 16 mil hectares, em uma região com mais de 200 cavernas já registradas

Ambiente

Tragédias causadas por desastres ambientais são impactantes e deixam as pessoas sem saber o que fazer, no entanto, há formas de amparo ou mesmo...

Ambiente

Uso continua liberado para algumas lavouras, mas apenas por aplicação direta ou tratamento de sementes

Publicidade

Publicidade